EUA

Twitter e Facebook restringem disseminação de matéria do New York Post

A matéria fazia afirmações sobre o filho do candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden

15/10/2020 às 11h57min
Por: Reuters // NTocantins - Foto: REUTERS/Tom Brenner

O Facebook e o Twitter lançaram dúvidas sobre uma matéria do New York Post que fez afirmações sobre o filho do candidato democrata à Presidência dos Estados Unidos, Joe Biden, tomando medidas proativas para restringir a divulgação do texto horas após a sua publicação na quarta-feira.

A reportagem continha supostos detalhes das negociações comerciais de Hunter Biden com uma empresa de energia ucraniana e dizia que o ex-vice-presidente se reuniu com um consultor da empresa. A matéria, que a Reuters não confirmou de forma independente, fornece detalhes de emails que, segundo o texto, foram enviados ao advogado de Rudy Giuliani, o advogado pessoal do presidente Donald Trump.

Robert Costello, o advogado de Giuliani citado na matéria do Post, não respondeu imediatamente a um pedido de comentário.

O Twitter proibiu seus usuários de publicar links para a reportagem do Post, enquanto o Facebook reduziu a frequência com que a matéria aparece nos feeds de notícias dos usuários e em outros lugares na plataforma do Facebook.

O porta-voz da campanha de Biden, Andrew Bates, disse em um comunicado que os comitês do Senado liderados pelos republicanos já haviam concluído que Biden não se envolveu em nenhum delito relacionado à Ucrânia.

“O New York Post nunca perguntou à campanha de Biden sobre os elementos cruciais dessa matéria”, disse Bates. “Revisamos as programações oficiais de Joe Biden da época e nenhuma reunião, como alegado pelo New York Post, jamais ocorreu”, acrescentou.


Notícias Relacionadas