Política com Luiz Armando Costa

Na falta de raciocínio (e bom senso), auxíliares de Cínthia fazem Eli de vítima

Luiz Armando Costa
13/09/2020 às 10h41min

A prefeitura da Capital quis fazer um giro e obrou um girau. Auxiliares mais espertos que outros no Paço Municipal houveram por bem negar, na última hora, autorização para convenção do Solidariedade na Capital.

O fundamento é uma graça: artigos de um decreto de março de 2020 que proibia aglomerações. De lá até aqui, o Tribunal Superior Eleitoral retificou as regras para as eleições e permitiu convenções nos modelos drive-in e drive-thru.

O Solidariedade pediu no modelo drive-in. E os técnicos da prefeitura deixaram para negar no último dia, escudado em aglomerações. Só se for de carros!!! Vai ver o que passou pela cabeça dos tais.

Resultado: a Justiça Eleitoral, como era esperado, determinou à prefeitura que autorizasse o Espaço público ao Solidariedade na forma pedida para sua convenção.

E Cínthia Ribeiro pode ter entregue um naco de votos ao deputado federal Eli Borges, cujo papel de vítima foi carimbado pela Justiça Eleitoral.

Eli que foi o deputado federal com maior votação em Palmas nas eleições de 2018. Obteve quase o dobro do segundo lugar, com 16.554 votos dos 48 mil que teve em todo o Estado, sendo retirados em Palmas.